terça-feira, 28 de julho de 2009

CORAÇÃO DO DIA, Eugénio de Andrade


Não resisto: tenho que colocar este magnífico poema de Eugénio de Andrade! Foi uma prenda da minha amiguinha tão linda!


Que música escutas tão atentamente
que não dás por mim?
Que bosque, ou rio, ou mar?
Ou é dentro de ti
que tudo canta ainda?
Queria falar contigo,
dizer-te apenas que estou aqui,
mas tenho medo,
medo que toda a música cesse
e tu não possas mais olhar as rosas.
Medo de quebrar o fio
com que teces os dias sem memória.
Com que palavrasou beijos ou lágrimas
se acordam os mortos sem os ferir,
sem os trazer a esta espuma negra
onde corpos e corpos se repetem,
parcimoniosamente, no meio de sombras?
Deixa-te estar assim,
ó cheia de doçura,
sentada, olhando as rosas,
e tão alheia
que nem dás por mim.


Eugénio de Andrade(Coração do dia)

1 comentário:

Leitores SOS Murça disse...

Ana Bela Ana,

o poema de Eugénio de Andrade ao lado da tua pintura vermelha torna-se ainda mais belo apesar de parecer que isso não é possível. Bjs amiguinha.