quarta-feira, 17 de março de 2010

Cartas a um Jovem Poeta - Rainer Maria Rilke

Em S. Paulo, Teatro adapta texto clássico de poeta Rainer Maria Rilke

"Cartas a um Jovem Poeta" é a obra mais celebrada de Rainer Maria Rilke, nascido em Praga em 1875 e um dos mais importantes poetas do século 20. O livro, uma reunião de cartas trocadas entre Rilke e Franz Kappus -um jovem admirador de sua obra-, é uma elegia à solidão e à reflexão necessárias para o ofício literário.
A existência de Deus, a importância do autoconhecimento e do contacto com a natureza são outros temas esmiuçados pelo poeta na obra, na qual aparecem as suas influências artísticas, como o escultor Auguste Rodin.
O livro de Rilke é adaptado pela primeira vez para o teatro. A produção, em cartaz no Sesc Avenida Paulista, é uma parceria entre Domingas Person e Ivo Müller -a ideia surgiu quando o actor, que dava aulas numa escola pública, encontrou na biblioteca volumes intocados da obra de Rilke.


in folha.uol.com.br/folha/livrariadafolha
 
P.S: Obrigada Anabela, por todas as páginas culturais de interesse que me envias do teu Twitter.

1 comentário:

Hélder disse...

Vi certa vez um poema dele que me agradou muitíssimo:

Solidão
A solidão é como uma chuva.
Ergue-se do mar ao encontro das noites;
de planícies distantes e remotas
sobe ao céu, que sempre a guarda.
E do céu tomba sobre a cidade.

Cai como chuva nas horas ambíguas,
quando todas as vielas se voltam para a manhã
e quando os corpos, que nada encontraram,
desiludidos e tristes se separam;
e quando aqueles que se odeiam
têm de dormir juntos na mesma cama:

então, a solidão vai com os rios...

Rainer Maria Rilke, in "O Livro das Imagens"