segunda-feira, 20 de setembro de 2010

A secreta viagem...





A BOCA AS BOCAS, David Mourão- Ferreira

  
Apenas
uma boca. A tua Boca
Apenas outra , a outra tua boca
É Primavera e ri a tua boca
De ser Agosto já na outra boca


Entre uma e outra voga a minha boca
E pouco a pouco a polpa de uma boca
Inda há pouco na popa em minha boca
É já na proa a polpa de outra boca.


Sabe a laranja a casca de uma boca
Sabe a morango a noz da outra boca
Mas sabe entretanto a minha boca


Que apenas vai sentindo em sua boca
Mais rouca do que a boca a minha boca
Mais louca do que a boca a tua boca.

3 comentários:

Leitores SOS Murça disse...

PIM! Anabela! Que lindo poema aqui deitas...um dos poemas mais sensuais que conheço... com a boca se beija, com a boca se fala, com a boca nos rimos, com a boca calamos, com a boca comemos, com a boca salivamos (ou desejamos sempre qualquer coisa...), com a boca silenciamos, a boca é um cabo de emoções extremas (de sílabas ao contrário), mas se baralharmos melhor todas as letras pode também ser acob ou baco, ou ainda caob ou, finalmente, cbao e cbao(noutra língua nórdica qualquer!). E agora que me apanhaste com a boca na botija (no nosso blogue), digo-te que adorei ler em silêncio contra os dentes, este poema do teu David.Mil bjs e saudades

Leitores SOS Murça disse...

digo "cbao ou bcao" (ai que sono, abre-se a boca com sono).Bjs

Leitores SOS Murça disse...

Ana Bela Ana,
as luzes da pintura que escolheste são lindas e trazem-nos a noite de Paris: grandiosa e romântica... quase como a que viverás nessa cidade daqui a uns meses... vejo-te no quadro acompanhada da Física e cheia de emoções que nem te deixam dormir...talvez te cruzes at´é com Oliveira e Maga, quem sabe, linda amiga?! Adorei!!!