sábado, 25 de setembro de 2010

Yusef e Ondjaki

Doçura, não resisto a dar-te a música que ouço insistentemente sem parar porque para mim enferma um exotismo invulgar, um encantamento ou chamamento ao qual não consigo resistir... E porque leio o magnífico Ondjaki que sabiamente me ofereceste, a conjugação é sublime........
Obrigada por seres minha amiga... minha irmã ... minha confidente...

"quero perder-me na densidade poética da nuvem"


2 comentários:

Caridee disse...

eu bem gostava de poder "roubar" um bocadinho da música q ofereceu à stora Patricia, mas n será possível visto eu ter trafego limitado da net :( mas a última frase, essa sim, posso sentir, posso pensar, e posso tentar entender, apesar de que há palavras que mesmo depois de lidas vezes e vezes sem conta nunca chegamos a realmente entender o todo que elas querem transmitir. Neste momento também gostava de me perder um pouco, nao interessa se seria na densidade poética da nuvem, simplesmente queria perder-me desta vida, nem que fosse por meros instantes, mas na realidade isso não é possível, portanto acho que me resta como escapatória, ler um pouco e dormir.
Querida Anabela, claro que eu n levo a mal o que me disse, e pelo que conheço de si (ou seja, quase nada) também consigo ver que é uma mulher belíssima, soube q é professora de fq, uma disciplina que eu adoro, ta como o português e inglês :) e espero que um dia também me trate pelo pronome TU, mas isso, só o tempo o dirá
Bjk

Leitores SOS Murça disse...

Yusef a tornar as nuvens poéticas...contigo a desejar que comecem a cair gotinhas de poesia nos teus olhos fechados, virados para a lua...a essas gotinhas a partir de agora, e a Yusef, chamarei "chuesia"...Mil bjs minha A.I.C.