terça-feira, 11 de agosto de 2009

Her morning Elegance - Oren Lavie

Ao Afonso
A manhã é o tempo da mais forte
expectativa frente ao dia que começa.
Da janela, tudo se esconde por detrás
dos dedos em leque que cobrem o primeiro
rasgo de um jacto no céu. O ar do verão é
ainda tão leve na sua queda que se apega
aos meus ombros negros da noite e
lhes lambe as últimas cinzas. De braços
levantados num telhado pontiagudo,
dou sinal de mim e de ti
aos raros automobilistas
que circundam a rotunda,
que seguem sem luzes,
num trajecto puramente mecanizado,
sem ver o acordar das árvores. O meu acenar
mais alto toca a espuma das nuvens e empurra-as
para o outro lado da cidade adormecida.
Hoje não quero chuva.
A tua manhã é diferente. Tem uma luz
mais dourada porque filtrada pela portada
entreaberta do sonho e ao ver-te sossegado
na tua pequena caminha,
pressinto que este dia vai ser maior
do que os outros
só por ser o dia do teu aniversário.

1 comentário:

anabela disse...

Doçura

Escolheste uma sonoridade tão vivaça! Coaduna-se perfeitamente ao espírito do poema.
Gostei de ver-te escrever para o teu filhote que, já tão novo,vê-se presenteado desta forma! Que felicidade a dele por ter-te a ti omo mãe!
O poema é lindo e ao lê-lo senti o ritmo frenético da vida, na pele de automobilistas, que passam pela vida sem lhe prestarem qualquer atenção.

Gostei muito....
Beijos
Añabela