segunda-feira, 17 de agosto de 2009

Vasco Graça Moura - Coração

Fotografia de Sévérine Cousot aka Sey
Coração de mar e vento
Que aos corações lanças redes
E és perpétuo movimento
Na guitarra do paredes ,

Pões esperança e amargura,
Vibras sombra e luz nas notas,
E em surdina tens gaivotas
De saudade e de aventura,

Coração tumultuário,
Ó faminto coração,
Solidário e solitário,
A prender nuvens ao chão,

Coração da melodia,
Coração em que murmuram
Sol e lua e se misturam
Em funda melancolia,

De tantas fomes e sedes
Coração terno e violento,
És perpétuo movimento
Na guitarra do paredes
.
Tenho saudades da minha amiga Anabela que nunca mais regressa das suas férias de verão e de todas as coisas dela por isso me lembrei de publicar um poema que ela me ofereceu no final deste ano lectivo. Carinhosamente emprestou-me um cd de homenagem a Carlos Paredes (que para mim é um génio!) para que pudesse ouvir este poema de Vasco Graça Moura cantado por Mísia.
Querida amiga, fazes-me falta! Quando vi esta fotografia de Séverine vi-te naquela nuvem capturada pela chuva e percebi que viver sem amigos é acabar de vez com as nuvens do céu.

1 comentário:

anabela disse...

Minha linda amiga:
Emocionei-me ao ler as tuas palavras. Adorei a foto que é absolutamente linda... Há pessoas que têm dons e esta fotógrafa tem um...
Mais do que as palavras de VGM, agradeço as tuas, tão pessoais, tão sentidas, tão próprias de alguém belo. Obrigada linda amiga.
Anabela