quinta-feira, 17 de setembro de 2009

La Place du Tertre

É indescritível a nobreza com que se passeia na Place do Tertre. Há um sorriso em todos os rostos como se todos eles esperassem que a qualquer momento algum pintor de rua o captasse numa tela branquíssima. Das esplanadas escapam conversas subtis, fumo de cigarros longos, olhares sonhadores. Nos sítios bonitos as pessoas são bonitas. A cor das casas tão limpas e pitorescas que parecem um cenário recém criado por alguém que não se acusa na multidão, alastra-se aos gestos dos "passants", cola-se aos lábios e às pálpebras das mulheres, em tons de verde eléctrico e vermelho vivo, conferindo-lhes uma elegância de que só Paris é detentora. Ali, quando passei, absorvi a alma do flâneur parisiense e jamais esqueci que a arte é democrática e traz felicidade. Obrigada, Anabela, por me dares fotos tão belas desta cidade tão amada pela littérature. O Baiser fotografado em plena agitação parisiense é invencível, irrepetível tentação ... Oh, La la!!!

1 comentário:

Leitores SOS Murça disse...

Doce amiguinha

Também eu apreciei esta praça e imaginei-me um qualquer Van Gog ou Picasso envolvida na inspiração que dela emana...É de facto uma praça cheia de arte...
A pintura é de facto magnífica mas a forma como conseguiste descrever a atmosfera daquela praça ainda o é mais! Ao ler-te revi-me lá e voltei a idealizar toda aquela magia que se sente... obrigada doce Pat.
Anabela