sexta-feira, 9 de outubro de 2009

Agustina Bessa-Luís

Maria Agustina Ferreira Teixeira Bessa Luís - esta autora é das escritoras mais completas que conheço. Ficcionista, autora dramática, cronista, autora de biografias romanceadas e de literatura infantil, recebeu os mais conceituados galardões literários para a escrita em Língua Portuguesa. com relevo para a atribuição do Prémio Camões, em 2004. O Douro, onde viveu a sua infância, e onde durante a adolescência, voltara durante as férias de escolares, marcará indelevelmente o seu imaginário romanesco.
Segundo Eduardo Lourenço A Sibila realizou uma mutação no panorama das letras nacionais, assinalando o ano de 1953 como um marco histórico entre duas épocas literárias. O significado mais profundo dessa obra foi segundo este crítico "(...) o de ter imposto um mundo romanesco, insólito, veemente, estritamente pessoal, desarmante e tão profuso e rico, verdadeira floresta da memória, tão povoada e imprevisível como a vida, onde nada é esquecido e tudo é transfigurado, mundo grave e inesquecível (...)".
Agustina: Nasci adulta e morrerei criança

Comemorando o 87.º aniversário de Agustina Bessa-Luís (Vila Meã, 15 de Outubro de 1922), o CCB dedica um dia da sua programação à autora de A Sibila, Prémio Camões em 2004 e uma das maiores figuras das letras portuguesas no século XX. Escritores contemporâneos (Inês Pedrosa, Pedro Mexia, Mário Cláudio) vão ler excertos da obra da autora de A Corte do Norte. Será apresentada uma exposição produzida pelo Instituto Camões, com guião de Inês Pedrosa e realização gráfica de João Botelho. Também decorrerão debates sobre a sua escrita e projectar-se-á um dos muitos filmes realizados a partir de obras suas: Francisca, de Manoel de Oliveira.


C.C.B.

3 comentários:

Leitores SOS Murça disse...

doce amiguinha

fiquei com tanta vontade de ir ve-la... apesar da minha total ignorancia em relaçao a sua obra. Comecei ha muitos anos a Sibila mas nao consegui passar das primeiras paginas...
Um dia destes voltarei a tentar.
obrigada pelo post.

muitos beijos
anabela

Leitores SOS Murça disse...

doce amiguinha

quero dizer mais alguma coisa sobre a minha vontade de ver a Agustina no Centro Cultural de Belem.
A verdade e que continuo a acreditar que somos muito penalizados por estarmos longe de Lisboa! Por mais que se diga que o Porto tem diversidade cultural, para mim a concentraçao e a diversidade de actividades neste dominio verifica-se sempre em Lisboa(exceptuo apenas Serralves pelo contributo impar). Veja-se que para alem da Agustina, o Gonçalo M Tavares vai fazer uns encontros, e que parecem espectaculares!, com alguns personagens das suas obras da s´´erie o bairro (Sr Valery, e nao me lembro do outros), durante este mes e ... em Lisboa! E poderia enumerar tantos outros...
Fico revoltada porque a cultura nao esta ao alcance de todos, nao esta ao meu alcance nem ao teu alcance...
Foi apenas um desabafo...

muitos beijos
anabela

Leitores SOS Murça disse...

doce amiguinha
voltei a ver o magnifico documentario que colocaste! Fiquei com pena de nao o poder ver na integra... A Agustina parece uma senhora tao afavel e bem disposta! Adoraria conhece-la...

Obrigada pelo video... Este tipo de documentarios faz-me acreditar que nos portugueses conseguimos fazer coisas tao belas e que em Portugal nao se lhes da valor algum... Nao sei se recebeu algum premio mas a qualidade fda fotografia e a forma como foi concebido merecem...

Mais uma vez, obrigada por tanta coisa linda que me das...
Anabela