sábado, 10 de outubro de 2009

NESTA CURVA TãO TERNA E LANCINANTE

.
NESTA CURVA TãO TERNA E LANCINANTE, Alexandre O´Neill

Nesta curva tão terna e lancinante
que vai ser que já é o teu desaparecimento
digo-te adeus
e como um adolescente
tropeço de ternura por ti.

video

Take me somewhere nice, Mogway


O cansaço da semana acumula-se e a imaginaçao nao se solta. Queria, como a Agustina, morrer criança...
Hoje apenas uma musica, bela, dos Mogway... e um pequeno mas lindo poema de O´Neill, que ternamente me ofereceste ...e que eu agora publico... Um hino a nossa amizade...

1 comentário:

Leitores SOS Murça disse...

Traz paz a tua música... ternurenta, amiga.